08. Livros: Poetizando I e Poetizando II


Apresentação: Poetizando.
 Índice

O amor...............................06
A pulga................................07
Entender................................08
Sepulta................................09
Permanece................................10
Importante................................11
Gula...............................12
Sou só..............................13
Perambular..............................14
A maior importância...............................15
Sucesso...............................16
Vidinha................................17
Realidade...............................18
Vem sem nexo..............................19
Estratégia.............................20
Motivos...............................21
Explicar o coração.............................22
Vida.............................23
O preço da Falsidade..............................24
Feita na Hora.............................25
Minhas e Suas.............................26
Estruturas.............................27
Solução..............................28
Valeu apena sonhar..............................29
Poucos Minutos...............................30
Quando tudo termina..............................31
Raros .............................32
Êxtase..............................33
Desistindo..............................34
Diamantes..............................35
Me ame.............................36
Desordem..............................37
EU TI AMO............................38
Canibal..............................39
Mãe............................40
Sofrimento.............................41
No lado de fora..............................42
A gloriosa Mãe Maria..............................43
Aconteceu porém...........................44
Abraço............................45
Última...........................46
Cega...........................47
Realidade...........................48
Erros...........................49
A questão...........................50
EU acima de tudo..........................51
Complica..........................52
Teus Sonhos...........................53
Pedaços..........................54
Falsidade Lógica...........................55
Para não perder..........................56
O Baile...........................57
Metade da vida...........................58
Indecisão..........................59
Atravessando...........................60
A escolha.............................61
Cicatriz............................62
Dignidade............................63
Apareça...........................64
Você.............................65
Amar é complicado.............................66
Salvar............................67
Suas mãos............................68
Pegadas.............................69
Futuro.............................70
Boca............................71
Fagulhas...........................72
Acabou...........................73
Desenhar............................74
Quarto...........................75
Uma data............................76
Inicio.............................77


O amor ...

Viajo em pensamento ,
Com sonhos de momentos,
Dos desejados tempos,
Tempo que o centro das atenções ,
Era o toque doce,
Do sentimento.
Amor o que decifrar sobre meu puro único martírio que me trouxe dor,
Há que tal voltarmos à vida e continuarmos as andanças o nosso puro amor.
Ouvir aquela cantiga de roda mergulhando entre os sonhos na nossa emoção,
Deixar de lado a realidade,
E aprender a viver sem nenhuma razão.
Jamais é tempo demais, não esquecerei o primeiro olhar,
Quando seus olhos eu
Olhei,
Voei ,
Delirei ,
Senti o descompasso do amar.
Já nem sei se aclamo sobre o meu amor ou se reclamo,
Escrevi um monte de bobagens mais descobri que amei por engano.
Amor é água, fogo,
Ar, terra ,
É sal , açucar ,
Bom e ruim,
Há contradição,
Puramente sou Eu misturando paixão,
Obsessão, confusão no coração.
O amor é cego,
Medroso ,
Forte e robusto,
Mas quando resiste ao medo,
Aparece e contamina como delírio tira completamente o sossego.
A face bonita todos teimam em contar ,
Emoções, desejos e juras de amor,
E acabam se esquecendo que para tudo a realidade sempre esconde a dor.
O amor entra não paga passagem ,
Simplesmente faz se estalagem,
E quando acordamos,
Estamos dizendo e escrevendo bobagens.
Bobagens verdadeiras,
Que levam a vida inteira para o outro entender,
E se acaso o amor não acreditar em Você,
Não tem como apagar e retroceder.
E se acaso não acreditar ,
Tente de o amor experimentar,
Você pode gostar,
Quem sabe descobrirá,
O valor de se apaixonar.


A Pulga

E ela pulou , pulou
Até que chegou , chegou
Cachorro raspou , raspou,
E ela zarpou, zarpou.
Então o que ficou, ficou,
Os filhos dela chocou , chocou,
O Homem envenenou , envenenou,
E tudo acabou, acabou,
Mas outro Homem não comprou, comprou,
Pois o veneno intoxicou , intoxicou,
Pulga que pulou , pulou,
Pulou de volta e teimou, teimou,
E ela se fixou , fixou,
E se proliferou, proliferou ,
E assim começou, começou,
O que nunca acabou, acabou,
A Pulga,
Casou-se.


POETIZANDO II
INDICE


Liberdade................06
Universo.................07
Poesia para o vento.................08
Brincando com Vicio.................09
De Segunda a Segunda..................10
Língua Portuguesa..................11
Obtenível..................12
Juventude.................13
Subpor...................14
A flor da velhice...................15
Ato de Começar...................16
Portugal...................17
Devaneios do mar...................18
Amarujar...................19
Cozinhando com Amor...................20
Alma...................21
Estrelas...................22
Humanidade...................23
Reverência...................24
Cultivando...................25
Tempo...................26
Almoços e Jantares...................27
Brasil...................28
Amor de terra...................29
É preciso acreditar...................30
Conselhos...................31
Degenerados...................32
Crepúsculo de minha Terra...................33
Vitoriosos Guerreiros...................34
Piedade ...................35
Pacificação...................36
Poesia de Uma História de Echaporã..................37
Pólos Iguais...................39
Cidade que Cresce...................42
Conheça Echaporã...................43
O que eu não gosto...................45
A Guerra...................47
Por causa...................49
O livro...................52
Sonhos...................54
Forte...................56
Brincando com o Vício...................58
O sentido...................59
A Pacificação...................61
A esperança...................62
Passando por Pasárgada...................64
Fogo...................65
Historia...................67
A flor da velhice...................68
Processo...................69
Fim...................70
Aqui...................71
Quando Amamos...................72
A Data Especial...................73
Moral...................74
Namorados...................75
Executando...................76
Coração Palhaço...................77
Silêncio...................78
Um exagerado Sacramento...................79
O poema confuso...................80
Poetizando...................86

Liberdade

Algemas invisíveis existem,
As de preconceito sem limites.
A que homem nasce homem mulher.
A que mulher nasce mulher homem.
E quem somos a julgar,
Seguir e libertar, sempre lutar.
Socorram-me por escrever errado,
Mais o conteúdo sim é exato.
Eu gritei...
Pedi liberdade aos meus amigos.
Que muitos de vozes grossas,
Corpos esculturas nunca desistem.
Liberdade de viver...
Liberdade de não ser apontado com dedo.
Liberdade de nunca mais ouvir chacotas.
Libertem meus melhores amigos,
Desta tal mediocridade.
Liberdade em pais livre.
Liberdade existe?
Assim libertem-se.


Universo
Perante as maiores clareiras,
Escondem-se as maiores fraquezas.
Nos dias de sol radiante, o brilhar ofusca os olhos,
E faz da vida um maior motivo errante,
Então, com a chuva sagrada o céu escurece,
Do dia se faz noite, e as flores padecem.
O pingo de chuva vai aos poucos aumentando,
E assim, vou sempre amando.
Tão perto das estrelas, ao estremo do querer,
Sensação de respirar. O que mais desejo o querer?
Gosto das cores, como da poesia de viver.
Amo os dias, sempre a viver.
Deus pusera paisagem tão bela,
No entanto apenas abro a janela.
Olhe o rio com os olhos do peixe,
Contemplai o rio e o céu. Sinta que a canção?
Pulsa elétrica no coração.
Seja funk, rap, rock ou sertanejo,
Apenas viva o intenso viver de um caranguejo.
Sinta as palavras, como a água movimentado,
Ouça as mil coisas a sua volta.
O pássaro o gato, o cego o cego.

Todos somos cegos, por não parar e ver,
Que Deus quis nos dar,
Para que todos possam apreciar.
Contemplem a beleza do branco e preto,
A leveza da musica instrumental.
O desejo da criança em sobreviver,
Percebeu, vale afina querer.
Fez em sete Dias, os mais importantes,
Depois desta poesia, nada será como antes.